sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

1:2

Se eu me perguntar daqui um tempo qual o momento exato em que tomei a decisão de emagrecer a resposta seria "não existe um momento". E é fato, tudo foi uma seqüência de fatores que ligaram o clique "opa, passei do limite". Agora, cá entre nós, existem algumas coisas que ajudaram mais que outras. Exemplo:

1. A amiga que te conhece há mais de 10 anos dizer que não te reconheceu na rua;
2. Comprar roupa virar um suplício. Tudo o que te agrada vem em tamanho menor. E não adianta dizer que é a confecção que está diminuindo a quantidade de pano (o que é verdade, outro dia eu peguei uma camiseta gg – nova – notadamente menor que uma g – também nova). Mas depois comento melhor sobre as roupas;
3. Reuniões de família.

As malditas reuniões. Natal esse ano foi um tormento, o que eu ouvi de você está gordo passa a conta dos dedos. Família nessa hora é uma merda (parênteses: o corretor do Word não reconhece merda como palavra, mas tem no Aurélio, acabei de conferir). Isso porque já cheguei dizendo "sim, estou gordo e só vou cuidar disso no ano que vem", para dar uma desequilibrada na história a meu favor. Algo como um "não se metam" educado. Encerraram a festa? Não, claro. Porque eu posso ser um homem feito de 31 anos, pagar as minhas contas, não depender de ninguém. Mas família sempre tem de inventar alguma coisa para querer pegar no seu pé e controlar a sua vida. Resultado foi que no almoço de Natal eu explodi, disse "Quer saber? Já marquei um médico para mim para o dia 12 de janeiro! Satisfeitos?", fui embora bufando e jurando não aparecer mais. E não vou. Até o Natal.

A história do médico é verdade mesmo, a consulta é nessa segunda. Logo ali. Só menti o sexo, é na verdade uma médica. Nutróloga. A segunda consulta que vou esse mês. A outra foi no posto de saúde, com outra médica, para pedir exame de sangue e urina e ouvir que estou bem mas tenho de fazer atividade. Check up para continuar bem e poder sofrer na esteira sem desmaiar. Os resultados do exame só depois do dia 15.

3 comentários:

Vinícius disse...

Força time! Estou nessa tb!

Mirka disse...

Bom, eu digo que funciona. Em 6 meses, agora completando 7 com uma nutróloga eu tenho perdido de 3 a 4quilos por mês e o mais importante: mantido o danado do peso. A gente se acostuma a comer o suficiente, afinal, é como vovó falava a gente come é pra viver e não vive pra comer, né?

Tô adorando usar meus velhos jeans e nem ganhei peso no final do ano.

Força amigo, vc consegue, com certeza.

Feliz 2009 com muitos quilos a menos.

Jéfi disse...

marcelo, eu tou contigo nessa!
=]